Hits: 1

David Hatcher Childress – Technology of the Gods – The Incredible Sciences of the Ancients

Erich von Däniken – Eram os Deuses Astronautas?

Zecharia Sitchin – O 12º Planeta

E. A. Wallis Budge – O Livro Egípcio dos Mortos

Heptameron

A edição mais antiga desse manual de magia ritual parece ser de Veneza, em 1496 (Lynn Thorndike (Magic and Experimental Science, vol. II, p. 925). Apareceu posteriormente como um apêndice da obra de Agripa, seguindo o quarto Livro de Filosofia Oculta. Uma tradução para o inglês de Robert Turner foi publicada em 1655 e apareceu numa coleção de textos esotéricos junto com o quarto livro de Agripa. É atribuído ao físico Pedro de Abano (1250-1316). Sua reputação como mago desenvolveu-se bastante cedo. Agripa referia-se a Abano em seu Terceiro Livro como sendo sua fonte (via Polygraphia de Trithemius) para o alfabeto tebano de Honório de Tebas. Este alfabeto foi largamente usado na Wicca moderna. O Heptameron (“sete dias”) detalha rituais para conjuração de anjos dos sete dias da semana.Foi largamente baseado nos textos do ciclo de Salomão, e de fato aparece na versão hebraica das Claves de Salomão (Mafteah Shelomoh) fol 35a ff sob o título de Livro da Luz. E também, aparentemente, uma das fontes do Lemegeton. download

Arbatel da Magia

Arbatel de Magia Veterum surgiu primeiramente em latim, em 1575. Foi publicado na Basiléia, Suíça, um dos primeiros pólos de publicação de livros no mundo. Foi provavelmente escrito por um autor italiano devido a diversas referências a cidades e eventos desse paós. Jacoby explica que a palavra ARBATEL (do hebraico ARBOTHIM = quadrifólio + AL=Deus) como uma outra maneira de dizer Tetragrammaton, usando a forma arbaq ‘Iaw, ou seja, o nome de quatro letras de IHVH, frequentemente visto em papiros mágicos gregos. (Jacoby in Bächtold-Stäubli, Hanns, Handwörterbuch des deutschen aberglaubens, Berlin: Walter de Gruyter & Co., Berlin und Leipzig, 1927, Band 1, pp. 568.) Esse pequeno livro é mencionado por John Dee em seu Mysteriorum Libri. Delrio condena o livro em seuDisquisitiones magicae (Köln 1679), 10. 36. 62. A.E. Waite classificou-o como um “ritual de magia transcedental”, ou seja, livre se ‘instruções perigosas que abrem porta à Magia Negra’ (Book of Ceremonial Magic, p. 28.). Em 1655 foi traduzido para o inglês por Robert Turner. download