Esse desafio de interpretação e meditação eu encontrei logo de início nos meus estudos de árabe e Alcorão: a expressão Bismillah.

O meu processo de análise partiu da tradução para o português mais usada: “em nome de Deus”. Foi um processo de análise exclusivamente pessoal, eu não sou uma estudiosa de Linguística.

Quando eu leio “em nome de”, o teor da expressão pode significar uma outorga de poder ou de atributo. Portanto, qualquer coisa dita sobre Deus dessa maneira toma um ar estranho e prepotente. Encontrei um estudo sobre essa partícula árabe – BI -, que me ajudou bastante a entender de maneira mais subjetiva o significado da expressão inteira (de Erlya Hafidzotul Masykuroh).

Depois dessa partícula, a palavra ‘ISM, ou “nome”. Pelo que estudei até hoje, a palavra temm um significado muito abrangente, não se atendo somente ao que poderia representar (um substantivo próprio etc), mas a palavra Nome significando Essência, ou Manifestação. Não à toa existem os 99 Nomes de Deus – أَسْمَاءُ ٱللَّٰهِ ٱلْحُسْنَىٰ‎ (asmāʾu llāhi l-ḥusnā), “Os Belos Nomes de Allah“, que não são senão condensações humanamente cogniscíveis de manifestações divinas.

Para mim, isso tomou uma dimensão enormemente diferente. Ao invés das quatro palavras em português, atualmente eu entendo a expressão بِسْمِ ٱللَّٰهِ (bismillah) como “envolta na grandiosidade de Deus”.

Adicionando o restante da invocação inicial de uma prece – بِسْمِ ٱللَّٰهِ ٱلرَّحْمَٰنِ ٱلرَّحِيمِ (bismi-llāhi r-raḥmāni r-raḥīm), “Em nome de Deus, o Clemente, o Misericordioso” -, só essa pequena linha escrita já abrange um estado mental bastante difícil de alcançar, para se iniciar uma prece ou leitura do Alcorão. Rahmani e rahim são palavras de mesma raiz, mas com diferenças: rahman é um adjetivo, usado no Alcorão somente referindo-se a Allah; rahim pode ser atribuído a um humano, tendo mais o significado de quem promove a ação de exercitar a misericórdia. Rahm significa útero. Quando vi essa explicação na internet eu brilhei por dentro! O útero materno, a maior manifestação de cuidado que se pode experimentar, o ápice da consubstanciação de um amor total, cônscio e nutridor.

O significado subjetivo que me evocou então, traduzindo em palavras:

“Envolta pela grandiosidade de Deus, em Sua manifestação de inconcebível cuidado”

Ou algo assim, eu não consigo até hoje achar o vocabulário correto.

Era difícil escrever em palavras comuns, porque quando pensava nessa evocação, minhas mãos tendiam a se fechar em concha, que é como me via como estava, dentro do pólo feminino da Criação.

Tempos depois, pesquisando mais, vi que a minha linha de raciocínio não estava assim tão “fora da casinha” como pensava. Encontrei uma citação maravilhosa – “… quer invoqueis a Deus (Allah), quer invoqueis ao Clemente (Ar-Rahman)”…(17:110)
E um Hadith: Ṣaḥīḥ al-Bukhārī 5988 – “A palavra ‘Ar-Rahm (útero) tem seu nome a partir de Ar-Rahman (i.e., um dos Nomes de Allah) ”